Real, Atlético de Bilbau e Barça dificultam arranque da liga feminina espanhola

Real, Atlético de Bilbau e Barça dificultam arranque da liga feminina espanhola

CSD quer uniformização de proposta estatutária para que possa ser lançado um concurso para comercializar direitos televisivos de forma conjunta.

Prestes a iniciar-se a nova edição da liga feminina em Espanha, o Conselho Superior de Desportos (CSD) indiciou que a mesma está agora paralisada dada a falta de consenso entre os clubes participantes no que toca à aprovação dos estatutos da prova.

O CSD, refere o jornal espanhol Mundo Deportivo, comunicou a 12 emblemas envolvidos no desenvolvimento da liga que o Barcelona, o Real Madrid e o Atlético de Bilbau propuseram um projeto estatutário distinto, pelo que é exigida unanimidade.

O órgão espanhol atribuiu um prazo de seis meses para haver uma uniformização de proposta para que, de acordo com a regulamentação em vigor no país-vizinho, possa ser lançado um concurso para comercializar direitos televisivos de forma conjunta.

Este imbróglio motivou, entretanto, a Associação de Clubes de Futebol Feminino (ACFF) a acusar o Real Madrid, o Atlético de Bilbau e o Barcelona de egocentrismo. "Não aceitaram a vontade da maioria, exigiram ter controlo da Liga e apresentaram estatutos adicionais, bloqueando maior profissionalização", referiu a ACFF.

Além desta denúncia, a ACFF instou o referido trio dissidente a "proceder urgentemente à aprovação dos estatutos definidos com o apoio da maioria" e desejou que "a vontade de três clubes não tenha precedência sobre a maioria".

Na última época desportiva (2020/21), a principal liga feminina espanhola iniciou-se no início do mês de outubro.