Portugal vai tentar contrariar a história frente à Rússia no play-off

Portugal vai tentar contrariar a história frente à Rússia no play-off
Redação com Lusa

O selecionador Francisco Neto antevê dois jogos "muito difíceis" face à Rússia no play-off.

O selecionador português de futebol feminino, Francisco Neto, perspetivou esta sexta-feira dois jogos "muito difíceis" face à Rússia, no play-off de acesso ao Europeu de 2022, mas prometeu encará-los com "muita ambição".

"Espero dois jogos muito difíceis, que Portugal vai encarar com muita ambição, porque quer estar outra vez no Europeu", afirmou Francisco Neto, citado pelo sítio na Internet da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), na antevisão os encontros de 9 de abril, em Portugal, e 13 do mesmo mês, na Rússia.

A Rússia, que marcou presença em cinco dos últimos seis Europeus (1997, 2001, 2009, 2013 e 2017) e já esteve em dois Mundiais (1999 e 2003), foi a equipa que calhou a Portugal, no sorteio realizado hoje em Nyon, na Suíça.

"Em função do ranking das equipas, podíamos ter preferência em relação a alguns adversários, mas quando estamos dependentes de um sorteio, sabemos que nada disso importa. Fosse qual fosse o adversário, o nosso pensamento não iria desviar-se da vontade de ultrapassar com êxito este play-off", garantiu.

De acordo com Francisco Neto, este duelo é "para ganhar", pois "quem chega ao play-off, entre as melhores seleções de futebol feminino da Europa, é porque tem competência para lá estar", mas sabendo que do outro lado está uma equipa forte.

"É uma equipa com enorme experiência em fases finais de campeonatos da Europa e do mundo. A maioria das jogadoras joga na Rússia e isso poderá ser uma vantagem na preparação delas para os jogos do'play-off. Olhando para o que fizeram no apuramento, vemos um desempenho competente, pois só perderam frente aos Países Baixos, campeões da Europa", explicou.

A formação portuguesa perdeu todos os sete encontros disputados face à Rússia, dois deles oficiais, na fase de apuramento para o Mundial de 1999 (duas derrotas por 2-0), sendo que a eliminatória vai resolver-se em solo russo, em 13 de abril.

"No último play-off, que nos conduziu ao primeiro Europeu da nossa história, também começámos em casa, no Restelo, e decidimos tudo na Roménia", lembrou o selecionador luso, segundo o qual a distância e o fuso horário "são desafios extra".

Francisco Neto recordou também que Portugal tem "conseguido fazer bons resultados em casa e fora".

"Aconteça o que acontecer, a qualificação será definida em dois jogos. Vamos lutar até ao último minuto por um lugar no Europeu", frisou o selecionador de Portugal, que em 2017 chegou à sua primeira fase final, ao eliminar a Roménia (0-0 em casa e 1-1, após prolongamento, fora).

Na última vez que defrontou a Rússia, Portugal perdeu por 1-0, em 01 de março de 2017, na Algarve Cup, num embate resolvido por Natalia Masinha, aos 86 minutos, depois de, aos 28, Dolores Silva ter desperdiçado uma grande penalidade.

A formação das quinas procura a segunda presença numa fase final, depois de ter estado no Europeu de 2017, também após disputar um play-off, então face à Roménia.

Nos outros embates do play-off, a Ucrânia defronta a Irlanda do Norte e a República Checa mede forças com a Suíça.

A fase final do Europeu de 2022 realiza-se em Inglaterra, de 6 a 31 de julho, e, além da seleção anfitriã, já se qualificaram Países Baixos, Dinamarca, Noruega, Espanha, Finlândia, Suécia, França, Bélgica, Alemanha, Islândia, Áustria e Itália.