"Dizem-me à mesa que transpiram por todos os poros"

"Dizem-me à mesa que transpiram por todos os poros"
Redação

Ana Borges assinala nervosismo das mais jovens à medida que se aproxima o jogo com a Rússia para o play-off de acesso ao Europeu

Ana Borges é uma das veteranas na Seleção Nacional e revela a ansiedade de algumas colegas à medida que se aproxima o play-off de acesso ao Europeu, a primeira mão a jogar-se na sexta-feira, em Lisboa. "

"Já se vai notando um bocadinho de ansiedade no grupo. Podemos acalmar as jogadoras que nunca estiveram num Europeu, mas a maioria sabe o que é uma fase final: se não foram ao Euro sénior em 2017, passaram pelos Europeus jovens (sub-19 ou sub-17)", disse aos canais da Federação Portuguesa de Futebol, detalhando um pouco mais quanto ao nervosismo: "Algumas colegas contaram-me, à mesa, que transpiram por todos os poros dois dias antes dos jogos. Sinceramente, acho que o suor e o nervosismo até são bons, significam que queremos muito estar nesta posição e vamos dar tudo para vencer e ir ao Europeu", considerou a jogadora do Sporting.

O jogo decisivo não assusta. "Quando fomos ao Europeu pela primeira vez, conseguimos lá chegar através do 'play-off em 2016. "Saber que não há margem para errar é motivador. Nós gostamos da pressão", continuou Borges, analisando a Rússia: "Sabemos que é uma equipa forte e que está acima de nós no que respeita à experiência em Europeus e Mundiais. Apesar de termos perdido sempre frente à Rússia, os últimos resultados não traduzem a superioridade que tivemos em campo. Queremos inverter o historial desfavorável frente a elas. Que seja agora e nos permita a presença no Europeu".