Taxa de incidência da covid-19 em Lisboa com tendência decrescente: "Temos de ser muito cautelosos"

Taxa de incidência da covid-19 em Lisboa com tendência decrescente: "Temos de ser muito cautelosos"
Lusa

A diretora-geral da Saúde afirmou esta segunda-feira que a taxa de incidência da covid-19 na Área Metropolitana de Lisboa (AML) apresenta uma tendência decrescente, mas alertou que ainda é cedo para tirar conclusões.

"Esse número tem vindo, paulatinamente e não de forma muito acentuada, a apresentar uma tendência decrescente, ainda sobre observação, porque é precoce para retirarmos conclusões", disse Graça Freitas, durante a habitual conferência de imprensa sobre a pandemia da covid-19 em Portugal.

Questionada sobre a situação epidemiológica na AML e nas 19 freguesias que continuam em situação de calamidade, a diretora-geral explicou que o melhor indicador para perceber a evolução da doença é a taxa de incidência, isto é, o número de novos casos por 100 mil habitantes.

Na AML, esse número situa-se, atualmente, nos 120 novos casos por 100 mil habitantes, ligeiramente abaixo das freguesias onde a situação epidemiológica tem merecido maior preocupação.

Segundo a diretora-geral da Saúde, nessas zonas a taxa de incidência varia entre os 125 e os 150 novos casos por 100 mil habitantes, apresentando igualmente uma tendência decrescente que deve, no entanto, ser vista com cautela.

"Temos de ser muito cautelosos com estes números e não baixar, de maneira alguma, a guarda", alertou Graça Freitas.

Durante a conferência de imprensa, o secretário de Estado da Saúde referiu também a situação particular na região de Lisboa e Vale do Tejo, sublinhando a importância da cooperação entre diferentes instituições.

"Tem sido fundamental esta cooperação com os autarcas, que têm colaborado de uma forma tremenda e extraordinária com as autoridades de saúde e só assim temos conseguido levar a bom porto toda a nossa atuação", referiu António Lacerda Sales, destacando também o trabalho das forças de segurança e da proteção civil.

Alguns membros do Governo vão reunir-se hoje com os presidentes de Câmara dos municípios de Lisboa, Amadora, Sintra, Odivelas e Loures para discutir a estratégia de prevenção e controlo da covid-19 nos concelhos da AML.

Referindo-se às decisões que possam resultar deste encontro, o secretário de Estado afirmou que a expectativa do Ministério da Saúde é que se mantenha aquilo que tem vindo a ser feito nas últimas semanas.

"A nossa expectativa é que assim continue a ser, quer pelo reforço das equipas, quer pelo reforço desta multidisciplinaridade que é essencial para a exequibilidade deste processo", sublinhou.

Portugal regista hoje mais duas mortes e 306 novos casos de infeção por covid-19 em relação a domingo, 254 dos quais na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS).

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia até hoje registam-se 46.818 casos de infeção confirmados e 1.662 mortes.

Lisboa e Vale do Tejo é a região onde o aumento dos casos continua a ser mais significativo, contabilizando 83% dos novos casos, com 254 dos 306, e uma das duas mortes registadas. O segundo óbito foi na região Norte.