Portugal com mais 72 mortos e 2401 novos casos de covid-19

Portugal com mais 72 mortos e 2401 novos casos de covid-19
Redação com Lusa

DGS atualiza os dados da pandemia em Portugal.

Portugal contabiliza esta terça-feira mais 72 mortos relacionados com a covid-19 e 2401 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, o país já registou 4577 mortes, registando 300 462 infeções pelo novo coronavírus, estando hoje ativos 75 008 casos, menos 5606 do que na segunda-feira.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS refere que estão internadas 3.275 pessoas (menos 67 do que na segunda-feira), das quais 521 em cuidados intensivos (menos quatro que nas últimas 24 horas).

Das mortes registadas nas últimas 24 horas, 43 ocorreram na região Norte, 13 no Centro, 11 na região de Lisboa e Vale do Tejo, três no Alentejo e duas no Algarve, não se registando qualquer óbito nos Açores ou na Madeira.

De acordo com o boletim, mais de metade dos novos casos de infeção foram contabilizados na região Norte (1.300), totalizando 157.785 casos e 2.182 mortos desde março.

Em Lisboa e Vale do Tejo foram registados mais 538 novos casos de infeção, sendo a segunda região com mais casos desde o início da pandemia, com um total de 99.061 e 1.623 mortes.

A região Centro registou mais 349 casos, tendo um total de 30.025 e 582 mortos.

No Alentejo, foram contabilizados mais 129 novas infeções, contando com um total de 6.287 e 119 mortos.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 48 novos casos de infeção, somando 5.351 casos e 51 mortos desde o início da pandemia.

Os Açores registaram 17 novos casos (total de 1.039) e a Madeira 20 novas infeções, totalizando 914.

Desde março, houve 17 mortes nos Açores e duas na Madeira.

A DGS refere também que as autoridades de saúde têm em vigilância 79.963 contactos, menos 1.514 em relação a segunda-feira, e que foram dados como recuperados mais 7.935 doentes, num total acumulado de 220.877 desde o início da pandemia.