Covid-19: Utentes de lar de Beja estão a ser transferidas para base aérea

Covid-19: Utentes de lar de Beja estão a ser transferidas para base aérea

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Lusa

Ficam no lar 25 utentes, com resultados positivos para o novo coronavírus

A transferência de 54 utentes do lar Mansão de São José, em Beja, para a Base Aérea Nº 11 (BA11), nos arredores da cidade, começou hoje cerca das 15:45, disse fonte do município.

A mesma fonte indicou à agência Lusa que inicialmente estava prevista a transferência de 58 utentes, de um lar que apenas acolhe utentes do sexo feminino, mas vão ser transferidas 54, duas delas com resultados negativos à covid-19.

A fonte da Câmara Municipal de Beja adiantou ainda que vão ser encaminhadas sete utentes para o hospital de Beja, para serem internadas, onde já se encontram três mulheres deste lar, o que totaliza 10 internadas.

Ficam no lar 25 utentes, com resultados positivos para o novo coronavírus, adiantou a mesma fonte.

O surto neste lar conta desde hoje com um total de 87 idosas com resultados positivos para o novo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, e 19 funcionários, o que dá o global de 106 infetados, de acordo com dados da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA).

Segundo fontes do município e da Proteção Civil, estão envolvidos nesta operação, coordenada pelos Bombeiros Voluntários de Beja, operacionais e veículos das corporações de bombeiros de Beja, Ferreira do Alentejo, Ourique, Moura, Serpa e Mértola, da delegação de Beja da Cruz Vermelha Portuguesa e elementos do Serviço Municipal de Proteção Civil, além da PSP e da GNR.

Em declarações à Lusa, na sexta-feira, o presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio, explicou que a transferência das utentes da instituição para a BA11 foi decidida pelas autoridades de Saúde locais e visa "descongestionar o espaço" do lar, "que, aparentemente, tem pessoas em excesso".

"Para descongestionar o espaço, vão retirar as pessoas que estão em melhores condições físicas e de mobilidade, mantendo na unidade", situada na zona histórica da cidade de Beja, as restantes utentes "que têm mais dificuldades de locomoção e autonomia", disse.

O presidente do município alentejano precisou que as utentes do lar Mansão de São José transferidas para a BA11 serão instaladas num edifício "que tem vindo a ser preparado desde o mês de abril precisamente para uma finalidade com estas características".

"Foi adaptado um espaço na BA11 com 70 camas precisamente para que, quando no distrito ocorresse uma situação de emergência de grande dimensão num lar, pudessem as pessoas ir para lá nas melhores condições", acrescentou.

Paulo Arsénio vincou que esta "é a melhor solução" que existe no concelho "para ser usada nestas circunstâncias" e que as utentes ficarão na BA11 "até o grupo estar totalmente recuperado".

Para apoiar estas pessoas, a Câmara de Beja contratou uma empresa de prestação de serviços na área da geriatria, cujos primeiros "14 auxiliares chegam hoje à BA11", anunciou o presidente da autarquia.

O número de infetados neste lar subiu hoje de 97 para 106, por terem sido identificados mais nove pessoas com testes com resultados positivos ao novo coronavírus.

Uma fonte da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo indicou à Lusa que, dos 15 testes que estavam inconclusivos, chegaram hoje os resultados de 11, dos quais nove são positivos, quatro de utentes e cinco de funcionários, e dois são negativos.

A ULSBA aguarda ainda o resultado de quatro testes.

Três utentes deste lar infetadas com covid-19 estão internadas no hospital da cidade, com quadro clínico "estável", segundo a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo.

As três idosas encontram-se na "enfermaria covid" do Hospital José Joaquim Fernandes, com um "quadro clínico estável", disse fonte da ULSBA.

O primeiro caso de covid-19 detetado neste lar foi o de uma mulher de 89 anos que "deu entrada na segunda-feira no Serviço de Urgência" do hospital de Beja, "fez um teste positivo" para o coronavírus SARS-CoV-2 e foi internada, disse esta semana à Lusa fonte da ULSBA.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais 39,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.162 pessoas dos 98.055 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.