Gomis quer outra final

TIAGO LEMOS

Tópicos

O treinador da Naval, Augusto Inácio, já admitiu que ainda hoje tem um amargo de boca por não ter ganho a final da Taça de 1999/00 ao serviço do Sporting, mas não é o único navalista que quase se sagrou vencedor de uma Taça, embora os motivos sejam diferentes. O jovem central Kevin Gomis também quase foi coroado vencedor da Taça de França da época passada ao serviço do Guingamp, só que como jogava na equipa B do clube não chegou a ser utilizado: "Estive no banco nos quartos-de-final com o Sedan, mas não entrei. Nunca cheguei a jogar, mas como treinava sempre com a equipa principal senti o espírito do que se passava", conta o navalista de 20 anos, que teve uma participação indirecta na vitória por 2-1 na final diante do Rennes.

Agora na Naval, e com um papel bem mais activo, Gomis já sonha com o Jamor, embora não se considere um jogador-fetiche para Taças: "Primeiro, é preciso lembrar que temos um adversário pela frente e penso que irá à final a equipa que mais a quiser", lembra. O número 26 não vê grandes diferenças entre as taças dos dois países, considerando ser "normal as equipas de outros escalões ganharem aos grandes", sendo que no ano passado foi mesmo isso que se passou quando estava no Guingamp, da II divisão gaulesa.

E numa altura em que o principal objectivo da época - a permanência - já está praticamente assegurada pela equipa da Figueira da Foz e com muitos minutos nas pernas, o balanço de Gomis sobre a época de estreia na Naval não podia ser mais positivo, ainda por cima quando o ponto considerado mais forte da equipa é a defesa: "Julgo que o facto de sofrermos poucos golos é fruto de um trabalho colectivo, visto que a pressão começa nos avançados. Da minha parte já estou mais adaptado e conheço melhor a forma como se joga em Portugal", asseverou o jovem central oriun do do escalção secundário do futebol francês.