Nelson Évora: como se faz um campeão

Nelson Évora: como se faz um campeão
Miguel Gouveia Pereira

Tópicos

Nelson Évora trouxe mais uma medalha para o desporto português, e do mesmo local onde ganhara o título olímpico no triplo salto em 2008. O saltador regressou esta terça-feira de Pequim, onde foi 3º no Mundiais de Atletismo. Releia a reportagem J, em que Nelson Évora conta as suas rotinas, rituais e emoções nos dias de competição.

Horas antes da competição, anda armado em gestor de uma empresa de transportes. Nelson Évora inicia quarta-feira a sua participação no Mundial de Atletismo ao Ar Livre, em Pequim, cidade onde conquistou o ouro olímpico em 2008. Antes de partir para a China, o atleta do triplo salto contou à J as suas rotinas, rituais e emoções nos dias de competição.

10 da manhã. Esta é a hora que Nelson Évora normalmente acorda nos dias de competição. De seguida, o atleta do Benfica toma um pequeno-almoço rico em frutas e cereais. "Não altero os meus hábitos alimentares por causa das provas. Como aquilo a que já estou habituado, porque não gosto de sair da minha zona de conforto. Gosto de me sentir leve para depois poder voar na pista", conta, à J, o último campeão olímpico português. Em termos de bebidas, prefere um sumo, já que o café deixa -o demasiado agitado: "Não bebo café, nem nada com cafeína. Uma vez bebi um shot de café e fiquei acordado toda a noite."

Tomada a primeira refeição do dia, é tempo de relaxar e deixar a pressão dos grandes saltos para a hora da prova. "Faço caminhadas para respirar um pouco de ar fresco. Oiço música, mas o que gosto mesmo é de jogar no computador", revela este fã de jogos de Playstation, que só não leva a consola para os estágios por uma razão: "Nunca sei que tipo de televisão vou encontrar, por isso opto por não a levar."

Sem Playstation, os jogos virtuais são jogados no portátil. O Transport Tycoon Deluxe, em que o jogador cria uma empresa de transportes e tem como missão transportar passageiros por terra, ar e mar, é o preferido de Nelson Évora. "É um jogo já velhinho, mas gosto muito deste tipo de simuladores de estratégia. É bom para me distrair e não estar focado somente na prova, nem matutar sempre na mesma coisa", confessa.

Ao almoço, o atleta come com o treinador João Ganço e com os colegas que integram o estágio. Depois, segue-se mais um período de descanso, antes da partida para o palco da prova.

APOIO DOS AMIGOS E FAMILIARES

As provas do triplo salto, disciplina do atletismo na qual Nelson Évora se tornou um dos melhores do mundo, são normalmente ao final da tarde. "Chego ao estádio três horas antes do início da prova. Aí é que começa a concentração em pleno e faço, juntamente com o meu treinador, a preparação mais detalhada. É preciso ver as condições climatéricas que podem condicionar o meu desempenho, como se está ou não vento. Feito isto tudo, vêm os saltos e começa a magia das grandes competições", revela o atleta, de 31 anos, que, apesar da vasta experiência internacional e dos títulos já conquistados, ainda fica ansioso antes de algumas provas: "Se falarmos de uns Jogos Olímpicos e até dos Mundiais, confesso que ainda fico ansioso antes de saltar. São grandes competições. No último mundial, em 2009, até estava muito calmo e, apesar de não estar num bom momento de forma, as coisas correram bem e ganhei a medalha de prata".

Para receber mais algumas palavras de motivação, o campeão olímpico em 2008 telefona para aqueles que lhe são mais próximos antes e depois das competições. "Ligo à minha mãe, irmã, amigos e também a colegas de treino, que têm perfeita noção do que passamos neste patamar. São as pessoas que nos dão a motivação que falta antes de cada prova e é neles que procuro apoio", ressalva.

Finalizada a prova, é tempo de analisar o que correu bem e menos bem, juntamente com o treinador João Ganço. Esta dupla, inseparável há 24 anos, fez um estágio de duas semanas em Fukuoka (Japão) para preparar o Campeonato do Mundo, que se iniciou ontem em Pequim (China) - Nelson Évora começa a competir na quarta-feira. Uma preparação que teve uma meta específica. "O objetivo destes estágios é descansar durante dois dias para nos adaptarmos ao clima e ao fuso horário. Ao terceiro dia, começamos a treinar", explica João Ganço.

Depois de quatro anos de interregno, devido a uma lesão na tíbia direita, Nelson Évora está de volta aos grandes palcos e este ano já se sagrou campeão europeu de pista coberta, em Praga. Em Pequim, onde se tornou campeão olímpico, em 2008, o atleta português deseja continuar nos lugares de topo.

MODELO E PUBLICITÁRIO

"COMO EU GOSTO DE CHOCOLATE"

Apesar de estar quase sempre ocupado a preparar as provas em que vai competir, Nelson Évora arranja ainda tempo para outras atividades que lhe dão prazer. Recentemente apareceu no pequeno ecrã a promover uma marca de chocolates. "Gostei muito de fazer essa publicidade, é a minha cara, porque gosto muito de chocolate. E senti-me bem com o resultado final. As pessoas aderiram e ainda me abordam na rua sobre o assunto", lembra o atleta, para quem o mundo da publicidade não é indiferente.

Nelson Évora ingressou em 2007 no curso de Publicidade e Marketing, da Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa. Logo, esta é uma área de que gosta particularmente. "Tenho a matrícula congelada neste momento, mas quero acabar o curso. Tudo tem o seu tempo. Sei que não vou fazer desporto para sempre e tenho de ter outros planos. A Publicidade e o Marketing são áreas que me interessam", revela.

O campeão olímpico também é presença frequente nas passarelas, tendo já desfilado em diversos eventos de moda. "O que posso dizer... o mundo da moda engraçou comigo. A marca desportiva que me patrocina chama-me muitas vezes para os representar e ser o embaixador deles na semana de moda. Eu abraço isso com bons olhos e divirto-me sempre imenso", confessa.

(Artigo publicado na Revista J de 23 de agosto de 2015)

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.