Fut4all, o projeto do Estoril em que toda a família joga

Fut4all, o projeto do Estoril em que toda a família joga
Miguel Gouveia Pereira

Tópicos

Criada em 2014, a iniciativa Fut4all permite que qualquer pessoa possa jogar futebol no Estoril, independentemente da idade, género e da habilidade para o desporto. E até o presidente dá uns toques

Foi o jogo do ano na Amoreira. Não se tratou de qualquer partida para decidir a I Liga, nem esteve presente um dos chamados grandes do futebol português. Aliás, este encontro nem se realizou no Estádio António Coimbra da Mota, mas um pouco mais ao lado, no sintético do Centro de Formação, e as duas equipas em prova envergavam o mesmo emblema, o do Estoril. Tratou-se simplesmente de um jogo entre amigos que fazem do projeto Fut4all, mas levado mais a sério. Foi o jogo anual que opõe os jogadores com mais de 40 anos, que vestem de azul, àqueles que têm menos de 40, equipados de azul e amarelo.

"Há uma grande rivalidade. Para se ter uma ideia, foram criados grupos de Whatsapp, onde houve picardias. Isto é um jogo entre amigos, mas tenho notado algum nervosismo e ansiedade", conta, a O JOGO, Hugo Leal, antigo jogador e atual membro da Direção canarinha. Foi ele que iniciou o projeto Fut4all, em 2014: "A ideia surgiu em conversa com uma treinadora do futebol feminino, num treino de captações. Ela explicou que as senhoras tinham dificuldade em jogar e só tinham hipóteses de o fazer se pertencessem a um clube. Comecei a criar um espaço para pessoas que não têm facilidade em encontrar equipas para jogar. Surgiu assim o Fut4all."

"No início era tudo meramente masculino", como assume o ex-internacional português, mas há um ano foi criada uma equipa de futebol feminino. "Neste momento, temos 44 inscritas", adianta.

Menos de 40 golearam

Voltando ao jogo do ano, o nervosismo era bem patente poucos minutos antes do início da partida. "Passámos toda a semana a picá-los e agora temos de mostrar que a nossa juventude e versatilidade é muito diferente da deles", atira Francisco Braga, ele que é membro da Direção do Estoril e que representa a equipa de menos de 40.

Do outro lado, Alexandre Faria, presidente do clube, é a principal figura dos mais velhos. "A ideia é criar um grupo onde somos todos iguais, independente da posição que ocupamos", garante o dirigente, ele que participou no Fut4all desde o primeiro dia: "A ideia seria proporcionar moldes iguais aos da competição, com um grupo o mais variado possível. Há um preparador físico, um treinador e também um maior conhecimento tático."

Habitual treinador, Hugo Leal vestiu neste dia a pele de árbitro. "Por vezes, no treino sou parcial, mas aqui tenho de ser imparcial. A não ser que o resultado esteja muito desequilibrado e eu tenha de equilibrar as coisas", brinca o antigo médio.

No final, a frescura física da equipa de menos de 40 acabou por prevalecer e a vitória foi por números esclarecedores: 5-1. Os azuis e amarelos venceram este clássico, mas, do outro lado, não houve mau perder e o fair play imperou.

Toda a família a praticar

Na casa de Koen Vons e Monique van der Zwet, casal de holandeses a residir Portugal há mais de uma década, todos jogam futebol no Estoril. Marido e mulher integraram as equipas masculina e feminina do Fut4all do Estoril, enquanto os dois filhos, Elisa, de nove anos, e Thomas, de sete anos, jogam nas escolinhas do Estoril. "As crianças começaram há mais tempo, depois o Koen começou no Fut4all. A 8 de março de 2016, fez-se um treino para as mulheres experimentarem e pedimos ao Hugo Leal para nos treinar", observou Monique, ela que em casa tenta fazer com que a família se concentre em outras atividades: "Só à quarta é que não jogamos futebol. Nesse dia, fazemos outras coisas, como andar de bicicleta."

Outro caso semelhante é o de Pedro e Cristina. Ele começou no projeto "desde o primeiro dia" e confessa que "esta é a única forma de praticar desporto". "Até quando estou lesionado apareço", assegura. Já a esposa entrou assim que foi criada a equipa feminina e deixa uma garantia. "Eu jogo melhor do que ele", atira Cristina, algo que o marido acha "discutível", mas que até concorda de forma relutante. A filha Madalena, de cinco anos, já entrou nas escolas do Estoril, enquanto Pedro, de dois anos, pretende seguir os passos da irmã. "Ele é maluco por futebol e pelo clube, mas ainda é muito pequenino", explica o pai.

Também a família do presidente canarinho é muito ativa e participativa nas atividades. Além de Alexandre Faria, a mulher, Eduarda, faz parte da equipa feminina do Fut4all e uma das filhas, Maria, de 13 anos, joga nas escolinhas do clube.

Rejeitadas pelo Benfica

Reunir um grupo de amigos para jogar futebol é algo comum nos homens, mas nas mulheres é mais difícil isso acontecer. Adeptas do desporto-rei, as irmãs Sandra e Sónia Gonçalves procuravam um clube onde pudessem jogar de forma não profissional. "Contactámos o Benfica e o que nos disseram foi que estávamos aquém do que eles pretendiam. Depois, enviámos email para aqui e simplesmente pediram-nos para aparecermos", recorda Sandra.

As duas irmãs, que costumavam jogar em família, agora encontraram outras mulheres com quem podem divertir-se e, essencialmente, praticar desporto. "É um grupo muito diversificado em termos de idade e de condição física. Algumas já tinham jogado futebol, outras não", salienta Sónia.

Hugo Leal encarrega-se de treinar as equipas masculina e feminina do Fut4all. "É mais fácil treinar os rapazes, já que elas precisam que eu argumente muito bem para justificar a razão de determinado exercício físico. Agora, ambas as secções têm os seus objetivos bem claros e vêm para cá para fazer desporto", elucida.

"De forma a não ser seletivo", como lembra Hugo Leal, as equipas do Fut4all não entram em torneios, mas já defrontaram outras equipas, como a formação da PSP e da GNR. "Nestes jogos, não há ninguém que fique de fora", garante.

Um dos pontos altos do projeto foi quando a equipa masculina viajou até Ungheni, na Moldávia, a convite da embaixada daquele país em Portugal. "É uma atividade que tem trazido também muitos sócios ao clube e dá a possibilidade de os adeptos representarem o Estoril e participar em eventos junto das nossas filiais", regozija-se o presidente Alexandre Faria.