Usain Bolt dedica-se à música e sonha alto: "Um Grammy? Nunca se sabe..."

Usain Bolt dedica-se à música e sonha alto: "Um Grammy? Nunca se sabe..."
Augusto Ferro

Tópicos

O homem mais veloz do mundo tem uma nova paixão e ambiciona ir longe a cantar. Como produtor, já lançou alguns talentos jamaicanos e achou ter chegado a hora de subir ao palco

Usain Bolt, o homem mais rápido da história e oito vezes campeão olímpico, parece ter descoberto o que pretende ser no resto da vida, cinco anos depois de abandonar as pistas. Habituado à fama, o jamaicano continua a revelar grande ambição no momento em que virou a agulha e afirma pretender ser uma estrela da música internacional. E Bolt não se ficará por aí, pois ainda pretende mostrar o talento no críquete. "O primeiro passo para o sucesso é a ambição; o segundo é a ação", escreveu recentemente.

Numa parceria com um amigo de longa data, Nugent "NJ" Walker, o ex-velocista lançou o single "Living the Dream", que pretende transformar num "hit" mundial.

"Estamos aí, acreditamos em nós e no produto que colocámos cá fora", afirmou Bolt, numa entrevista sobre o que pretende alcançar. "Isto é como o atletismo, é tudo uma questão de trabalho e dedicação a tempo inteiro", comentou, não se fazendo rogado quando lhe perguntaram se pensava num Grammy. "Nunca se sabe..."

Não fazendo segredo da paixão pela música quando corria - "gosto de Lil Wayne, Jay-Z, um bocadinho de Ludacris", dizia então -, já em 2010 Bolt foi convidado a ser DJ uma noite, em Paris, entrando no novo negócio mal terminou a carreira, em 2016, como produtor. Um disco com vários artistas que fez para a Olympe Rosé, casa de champanhe que o patrocinava, foi lançado há dois anos e já superou os quatro milhões de visualizações no Youtube. Novidade é ouvi-lo agora a cantar...

Mas o bichinho do desporto continua a mexer com o furacão das Caraíbas. Depois de ter tentado, sem sucesso, uma carreira de futebolista na Noruega, Alemanha e Austrália, e não pensando voltar acorrer - aos 34 anos ainda seria favorito nos Jogos de Tóquio, se tivesse regressado... - deu por concluída a vida de desportista. Porém, viu nova oportunidade no críquete, tendo-se já feito fotografar, em treinos, ao lado de uma lenda deste desporto.