Exclusivo Filipa Galrão: "O Benfica não me tira a fome, mas às vezes dá-me sede"

Filipa Galrão: "O Benfica não me tira a fome, mas às vezes dá-me sede"
Carlos Pereira Santos

FORA DE JOGO - Ora aqui temos uma benfiquista de sorriso inteiro - basta dizer que deu o nome de Eusébio a um dos seus filhos e não foi só por causa do avô... Filipa Galrão é hoje uma das vozes das tardes da Rádio Renascença, depois de um período a levantar-se com as galinhas para fazer o programa "As Três da Manhã", com Ana Galvão e Joana Marques. Vamos lá conhecê-la um bocadinho melhor.

Tu és muito benfiquista. Como é que isso te aconteceu?
-Não sou "muito" benfiquista, isso não existe. Ou és ou não és. Eu sou e ainda bem. Diria que tive boas influências. Primeiro o meu pai e a minha irmã, depois um namorado que virou marido, e assim foram crescendo estes dois amores em conjunto. Porque o Benfica é isso: é amor.

Um dos teus filhos chama-se Eusébio. Não corres o risco de ele um dia vir a ser portista ou sportinguista e não te perdoar?
-Por que razão ele iria ficar triste por ter o nome, não só do meu querido avô Eusébio (sportinguista por sinal) e também do Rei Eusébio, um dos melhores jogadores do Benfica e de Portugal de todos os tempos? Além disso, tal como estes dois, acredito que o "meu" Eusébio também será um exemplar dedicado e cheio de raça para onde quer que se vire. Só quero que seja feliz. Neste caso, feliz e com um nome bem bonito a acompanhar.