Exclusivo "Fiquei afónico na final do Europeu tal o entusiasmo daquele momento"

"Fiquei afónico na final do Europeu tal o entusiasmo daquele momento"
Carlos Pereira Santos

FORA DE JOGO - Uma voz inconfundível da rádio portuguesa, um estilo peculiar de relatar o futebol, uma generosidade imensa no trabalho, um grande camarada de profissão. É assim Pedro Azevedo, um poveiro de nascimento e do coração.

Era capaz de te ouvir a fazer um relato em japonês e reconhecer a tua voz. Tens realmente uma voz inconfundível. Já te tinham dito isto?
-Sim. Confesso que a maioria das pessoas me abordam sobre a voz, mas se me aventurasse a fazer um relato em japonês ficariam com os olhos em bico... Tenho a noção que o timbre da voz é a minha identidade. E que o relatador desportivo deve ter um aparelho fonador que produza um bom som. É a nossa parte mecânica. Se o motor gripar, adeus ó vindima.

Quando é que percebeste que tinhas um jeitinho para fazer rádio?
- Foram os relatos que me provocaram a paixão pela rádio. Fazia relatos com oito anos de idade com os cromos da coleção Caricaturas de Portugal. As balizas eram caixas de sapatos e a bola era feita com a prata das tabletes de chocolate.