Só ganhar é opcional

José Manuel Ribeiro

Tópicos

Nesta Champions, como em todas antes, ninguém exige vitórias. Mas os jogos têm de ser discutidos

No Brasil de Tiquinho Soares chamam-lhe "deitar conversa fora". Foi o que o FC Porto fez nas duas mãos com a Juventus: não as discutiu; deitou conversa fora. Não confundir com caráter. Podemos falar em orçamentos e na perdição europeia que aí vem para os clubes portugueses (catastrofismo que vai vingar, porque julgam que também interessa ao Benfica); podemos falar na estatura de Maxi, Óliver e André André; podemos sublinhar a verde fluorescente os 46 jogos da Juve sem perder em Turim: incontestável é apenas que o FC Porto não conseguiu discutir a eliminatória.Maxi Pereira não encolheu de propósito para este jogo; sempre foi baixinho, e a expulsão chegou à quinta ou sexta bola seguida que a Juventus ganhou na área, aproveitando, de forma evidente, detalhes como esse dos poucos centímetros do uruguaio. O futebol não se ganha só marcando mais golos do que os sofridos; também se ganha evitando cartões vermelhos e com a presença de espírito dos jogadores, para perceberem que defender uma bola com a mão traz, em princípio, mais prejuízos do que benefícios. O "somos Porto" que Nuno quer trazer de volta tem de antecipar isto tudo e o mesmo serve para o Benfica. Talvez as distâncias tenham crescido e talvez as equipas portuguesas tenham de perder mais vezes do que o costume nos próximos tempos (escrevo talvez, porque não sou adivinho nem estatístico), mas nunca ninguém lhes exigiu que ganhassem. O que tem de se lhes exigir é o que não se viu no Sporting da primeira fase e nos quatro jogos destes oitavos de final: que discutam.