Tem a palavra a Federação

Jorge Maia

Tópicos

A confirmação da existência dos emails divulgados pelo FC Porto obriga a FPF a agir rapidamente

Bem espremido, o essencial do comunicado emitido ontem por Mário Figueiredo, ex-presidente da Liga, é fácil de resumir: os emails divulgados pelo FC Porto na véspera existem mesmo. Depois há o facto de não chegar a explicar porque se despede de Luís Filipe Vieira dizendo "sempre tenho estado e estou ao TEU LADO", assim mesmo, em maiúsculas, embora por esta altura se perceba que a linguagem utilizada nestas trocas de mensagens é muitas vezes carinhosa e até ternurenta, como fica evidente no "só quero ser um "menino" querido para vocês" enviado por Nuno Cabral a Paulo Gonçalves. Também faltou a Mário Figueiredo explicar a diligente resposta ao "pedido" do mesmo Paulo Gonçalves, quando o assessor jurídico da SAD do Benfica intercedeu a favor do "menino querido" para lhe garantir a presença num jogo da I Liga, mas talvez ainda venha a ter oportunidade de o fazer. Aliás, aquilo que é justo esperar de toda esta polémica é que tudo seja devida e cabalmente explicado, conforme, de resto, foi solicitado pela APAF aos organismos competentes da Federação Portuguesa de Futebol. Neste momento há uma incontornável suspeita sobre a forma como o atual quadro de árbitros e delegados foi sendo definido ao longo dos últimos anos para favorecer os interesses de um clube, a começar pelas evidências de influência sobre o sistema de avaliação. Uma suspeita que não pode ficar sem resposta, sob risco de descrédito de todo o edifício do futebol português. Sendo os árbitros que estão em causa, é natural que sejam eles os primeiros a querer levar o caso até às últimas consequências, mas não podem ser os únicos. Tem a palavra a Federação.