Pedro Henriques

Mãos e simulações

Publicado por Pedro Henriques
As mãos na bola nem sempre devem ser punidas disciplinarmente com cartão amarelo, o árbitro deve apenas advertir o infrator quando este corta um ataque prometedor ou uma linha de passe entre dois adversários; tenta obter um golo na baliza adversaria mesmo que não faça golo; impede ou retarda o guarda-redes de repor rapidamente a bola em jogo e com isso impede uma iniciativa atacante; joga a bola com as mãos para impedir que a bola entre na sua baliza, mas mesmo assim sofre o golo; ou quando o árbitro entenda que há um comportamento antidesportivo - como, por exemplo, impedir dessa forma uma saída rápida em contra-ataque - ou jogue a bola com a mão para cortar um passe entre dois adversários, mesmo que não o consiga. Maxi Pereira, no jogo entre o Benfica e o Paços de Ferreira, ao minuto 74, jogou a bola com a mão e, de forma correta, o árbitro não o advertiu por ser uma situação que não se enquadrou nas situações anteriormente descritas.

A simulação por parte de um jogador que finge ter sofrido uma infração com o intuito de enganar o árbitro é punida com livre indireto e com cartão amarelo. No início desta época deu-se, mais uma vez, ênfase para que os árbitros sejam assertivos e rigorosos com estas situações e com estes jogadores no sentido de erradicar este tipo de comportamento antidesportivo, que são sobretudo uma falta de respeito para com o jogo por parte de quem pratica estas ações. Também é um facto que quando um jogador cai no chão, e sobretudo na área adversária, a decisão não tem de ser ou grande penalidade ou cartão amarelo por simulação. Muitas são as vezes em que o jogador cai mesmo sem sofrer qualquer infração, fruto do movimento que leva, do contacto físico com o adversário ou apenas porque escorrega. É por isso importante que o árbitro tenha muito bom senso na análise destas situações e, sobretudo no caso concreto em que há contacto físico, dê o claro benefício e não advirta o avançado por simulação, até porque, por experiência própria de ter arbitrado e atualmente ver muitos jogos, na maior parte dos casos os árbitros acabam por se enganar duplamente, ou seja, não assinalam a grande penalidade que efetivamente existe e ainda advertem erradamente o jogador por simulação. Foi neste contexto que se inseriu a situação ocorrida no jogo entre o FC Porto e o Gil Vicente, onde Peck's fez grande penalidade sobre Varela e o portista acabou advertido.

Falta grosseira é punida com cartão vermelho e é entendida como sendo o uso de força excessiva ou brutalidade contra um seu adversário na disputa de bola, correndo o risco de lesionar o adversário ou pondo em risco a integridade física do opositor. Foi neste contexto que se inseriu a entrada de Bigazzi sobre Capel no jogo entre o Olhanense e o Sporting.