Joel Neto

Duas naturezas

Publicado por Joel Neto
Tenho, sobre a Juve Leo, a opinião conhecida: a forma como rejeitou José Mourinho não apenas prova a sua própria inutilidade, como se calhar a inutilidade de todas as claques (e, já agora, das demais hordas informes). O boicote indeterminado ao apoio à equipa do Sporting já me parece uma medida com alguma assertividade, sobretudo depois da experiência de Moreira de Cónegos. Agora, suspender esse boicote para o jogo com o Benfica, exatamente quando ele poderia doer mais? E suspendê-lo porque os membros da claque têm de "defender a sua honra"? Peço desculpa, mas isso só dá razão àqueles que preconizam que o ressentimento para com o Benfica, podendo ser educado, não deixa de ser uma das principais expressões do sportinguismo. Àqueles como eu, isto é.

Razões de viver no máximo

Leio num desses sites cujos destaques me chegam através dos amigos do Facebook: "A atriz Luciana Abreu anunciou hoje que se reconciliou com Yannick Djaló e que o casal já está a tratar dos procedimentos legais necessários para cancelar o anunciado divórcio." E se esta gente vivesse um pouco mais e representasse um bocadinho menos? Ah, mas para isso iam ter de parar de anunciar. E uma pessoa que não anuncia nada está, como dizem os americanos, "as good as dead" - tão boa como se estivesse morta...

Um grande dia

A atribuição a Ricardo Santos do troféu Sir Henry Cotton, para o melhor rookie do ano do European Tour, torna inevitável o balanço: 2012 foi o melhor ano da história do golfe nacional. Sim, é verdade: Portugal está agora na iminência de ficar reduzido a apenas um torneio no circuito europeu. Acontece que Inglaterra e Espanha, as duas maiores potências da modalidade deste lado do oceano, também só vão organizar um evento cada uma em 2013. E, se calhar, o nosso cartão de visita pode deixar agora de ser sobretudo organizativo, para ser competitivo. A indústria não gostará. Mas, para os adeptos, haverá melhor?