Bianchi Prata vence segunda etapa consecutiva no Morocco Desert Challenge

Bianchi Prata vence segunda etapa consecutiva no Morocco Desert Challenge

Piloto português Pedro Bianchi Prata, aos comandos de uma Honda, venceu, pela segunda vez consecutiva, uma etapa do rali todo-o-terreno Morocco Desert Challenge.

O piloto português Pedro Bianchi Prata, aos comandos de uma Honda, venceu, pela segunda vez consecutiva, uma etapa do rali todo-o-terreno Morocco Desert Challenge, subindo à segunda posição da geral. O motard cumpriu os 230 quilómetros da etapa, com partida e chegada em Merzouga, em 4:00.27.

"Foi uma especial de muita navegação e marcada pela anulação do início devido a uma enorme tempestade de areia. Sabia que ia ser difícil partir na frente e ganhar, mas consegui. Perdi-me num local complicado e cheguei a ser o quarto em pista, mas nunca baixei o ritmo nem perdi o foco, lutei até ao final ganhando com bastante vantagem", disse, citado pela sua assessoria de imprensa.

Relativamente à possibilidade de vitória nas motos, Pedro Bianchi Prata comentou: "tudo ainda está em aberto. Vou lutar até ao final, quero ganhar".

A piloto Elisabete Jacinto, aos comandos de um camião Man, terminou, por seu turno, em quinto lugar a quinta etapa do rali marroquino, mantendo-se em terceiro lugar da classificação geral nos camiões.

O trio português formado por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho demorou 4:18.09 horas a realizar o setor seletivo de 213 quilómetros cronometrados, com partida e chegada em Merzouga, terminando a 46.49 minutos do vencedor, o holandês Gert Huzink.

"Houve tempestade de areia durante toda a noite e à hora de partirmos para a especial a tempestade estava tão forte que não havia condições para começar a corrida. Por este motivo a etapa acabou por ser um pouco mais curta (...). Foi uma etapa muito bonita, difícil e sinuosa. Apesar dos contratempos correu tudo bem sem nenhum problema a assinalar", contou a piloto Elisabete Jacinto.

Nos carros, a dupla composta por Nuno Matos e Nuno Silva terminou a etapa em 24.°, a 1:56.25 horas do vencedor, o holandês Maik Willems.

Os pilotos portugueses subiram 11 posições na geral, ocupando agora o 28.° lugar.

"Devido ao problema que se registou na etapa de ontem fomos um dos últimos a sair para a pista, mas o dia foi fantástico (...). Continuei a aprender, diverti-me imenso e foi um dia em que o Mokka esteve irrepreensível, sem problemas mecânicos", afirmou explicou Nuno Matos, no final da quinta etapa.

Na sexta etapa do rali, entre Merzouga e Tendrada, os pilotos terão de cumprir 405 quilómetros, cruzando as planícies de Hamada e o planalto de Rekkam, num misto entre pistas sinuosas, planícies e alguns trilhos técnicos.