Infantino "extremamente feliz" com resultados do videoárbitro

Infantino "extremamente feliz" com resultados do videoárbitro

Presidente da FIFA refere, no entanto, que há situações em que a utilização da tecnologia demora mais do que o esperado.

A experiência do videoárbitro nos jogos da Taça das Confederações está a deixar o presidente da FIFA, Gianni Infantino, "extremamente feliz", apesar de alguns momentos confusos nas cinco vezes em que foi utilizado.

"Temos visto como o recurso ao vídeo ajudou os árbitros a tomar decisões corretas", justificou, após assistir em Sochi ao triunfo da Alemanha por 3-2 sobre a Austrália, que viu o seu segundo golo confirmado pela tecnologia, quando ficou a sensação de que a bola teria tocado o braço de Juric, autor do tento.

Infantino está satisfeito ao ponto de desejar que a tecnologia seja implementada já no Mundial'2018, que vai decorrer também na Rússia, julgando-a essencial para evitar "erros claros" em situações de jogo, como penáltis ou foras de jogo em lances de golo.

"O que os adeptos têm esperando há tantos anos está finalmente a acontecer", reforçou, defendendo que o uso desta tecnologia, que se verifica há menos de um ano, "é o futuro do futebol moderno".

Apesar do otimismo do presidente da FIFA, houve já dois lances cuja utilização do videoárbitro não foi tão célere quanto o esperado, nomeadamente nas jogadas que resultaram em anulações de golos a Portugal frente ao México (2-2) e do Chile que bateu os Camarões por 2-0.

"É uma nova regra e se trouxer benefícios ao futebol está tudo bem. Mas devemos ter cuidado, pois acho que as pessoas ainda não a entenderam muito bem", disse Fernando Santos, selecionador de Portugal.

Já o treinador do Chile, Juan Antonio Pizzi, manifestou algumas reticências: "É um pouco difícil para os atletas. Mesmo que seja uma decisão acertada, tem impacto nas emoções e sentimentos dos jogadores."

A utilização do videoárbitro no Mundial'2018 vai ser aprovada pelo painel competente da FIFA em março.