FIFA estuda seis medidas: jogos com 60 minutos, golo em vez de penálti...

FIFA estuda seis medidas: jogos com 60 minutos, golo em vez de penálti...

Depois da introdução do videoárbitro, organismo que gere o futebol mundial já analisa futuras mudanças

Com algumas ideias a serem testadas atualmente, como o videoárbitro, as quatro substituições e um novo sistema no desempate por grandes penalidades, a FIFA já estuda novas medidas a implementar no futebol de forma a torná-lo mais fluído e goleador.

O International Board, que gere as regras do jogo, tem seis propostas em mãos que serão analisadas em março de 2018 e algumas delas configurariam uma autêntica revolução ao futebol que conhecemos, a começar pelo tempo de jogo.

1. Partidas de 60 minutos de tempo útil. Em vez dos atuais 45 minutos por cada parte do jogo, seriam contabilizados apenas 30 minutos, mas de tempo útil. Ou seja, o cronómetro estaria parado em cada interrupção do jogo, bolas fora, faltas ou golos, à semelhança do que acontece no hóquei em patins, por exemplo.

2. Fim ao tempo de compensação. Se a primeira medida for avante, deverá terminar o tempo de compensação. Assim que terminar o tempo cronometrado, o árbitro dará por terminada a partida à primeira interrupção no jogo, ou seja, quando houver uma falta, a bola sair de campo ou, eventualmente, um golo.

3. Golo em vez de penálti. Caso um defesa evitasse um golo certo ao cortar a bola com a mão dentro da área, o árbitro daria de imediato golo em vez de marcar penálti.

4. Penálti por atraso ao guarda-redes. Atualmente os atrasos ilegais ao guarda-redes são penalizados com livres indiretos. Nas novas regras, passariam a ser punidos com grandes penalidades.

5. Bola corrida nas faltas. Para a marcação de uma falta a bola deixaria de ter de estar parada, o que poderia aumentar a velocidade com que as faltas são marcadas e aumentar o efeito surpresa, criando jogadas perigosas.

6. Mudança na marcação das faltas ou cantos. Um jogador poderá sair a jogar numa marcação de faltas ou cantos. Acabaria a necessidade de passar a bola a um colega.