Liga defende diretora executiva Sónia Carneiro e critica "caça às bruxas"

Liga defende diretora executiva Sónia Carneiro e critica "caça às bruxas"

Surgiu em blogues e redes sociais a fotografia de uma publicação de Sónia Carneiro na rede social Facebook, feita em 2012

Durante este sábado surgiu em blogues e redes sociais a fotografia de uma publicação de Sónia Carneiro na rede social Facebook, feita em 2012 - semanas após o final da Liga 2011/12, conquista pelo FC Porto - na qual a atual diretor executiva da Liga apelidava o Estádio da Luz de "salão de festas dos adversários", dando como exemplos a conquista do título de campeão do FC Porto em 2010/11, em plenos estádio do Benfica; e da vitória da Grécia na final do Euro'2004. Sónia Carneiro, recorde-se, entrou na Liga há dois anos como assessora jurídica de Pedro Proença, passando poucos meses depois para a Comissão Executiva.

A Liga Portugal, explicando que o fazia por ter sido contactada por diversos jornalistas sobre o assunto, emitiu um comunicado a propósito da "continuada divulgação, de forma extrapolada, em redes sociais e blogues particulares, de conteúdos que ferem a dignidade e a isenção de titulares de cargos na sua Direção Executiva".
Garantindo "o rigor e a isenção do Presidente e dos Diretores Executivos da LPFP", recordando que os mesmos "são continuadamente escrutinados e auditados por todas as sociedades desportivas do futebol profissional", a Liga "condena todos e quaisquer procedimentos inquisitoriais, mesmo que levados a cabo com ferramentas e metodologias modernas de comunicação".

A dado momento do extenso comunicado, a Liga assume que "diversas simpatias e afetos clubísticos do Presidente e dos Diretores Executivos [...] não são obstáculo para o cumprimento digno, profissional, rigoroso e isento".
No que surge como um comunicado em defesa de Sónia Carneiro, a Liga lamenta que "o que antigamente era discussão alegre e divertida entre amigos de 'cores diferentes', no café ou nas redes sociais ao alcance do Mundo, hoje se transformou numa moderna 'caça às bruxas'".

Comunicado da Liga Portugal

Hoje interpelada por vários representantes de Órgãos de Comunicação Social a propósito da continuada divulgação, de forma extrapolada, em redes sociais e blogues particulares, de conteúdos que ferem a dignidade e a isenção de titulares de cargos na sua Direção Executiva, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) entende prestar os seguintes esclarecimentos.

1. O rigor e a isenção do Presidente e dos Diretores Executivos da LPFP são continuadamente escrutinados e auditados por todas as sociedades desportivas do futebol profissional, nomeadamente pela Direção do organismo, que é constituída e eleita por todos os emblemas do futebol profissional.

2. As diversas simpatias e afetos clubísticos do Presidente e dos Diretores Executivos, apesar de conhecidas, ou reveladas, em vários momentos das suas vidas profissionais não são obstáculo para o cumprimento digno, profissional, rigoroso e isento no que diz respeito às tutelas e responsabilidades que cada um assume no organismo.

3. Os critérios e valores subjacentes ao quotidiano de gestão do futebol profissional têm prevalecido blindados, desde o primeiro dia do mandato da atual Direção Executiva, presidida por Pedro Proença, independentemente dos passados e atividades de cada um dos seus membros enquanto adeptos e apaixonados pelo futebol, com diversas simpatias clubísticas.

4. É seguro dizer-se que não haverá qualquer dirigente de topo ou intermédio, no futebol profissional e não-profissional, que não seja adepto ou simpatizante de um clube.

5. É também seguro dizer-se que o que antigamente era discussão alegre e divertida entre amigos de "cores diferentes", no café ou nas redes sociais ao alcance do Mundo, hoje se transformou numa moderna "caça às bruxas".

6. Perante tal cenário, cumprindo a sua missão de promotora do espetáculo e na defesa a integridade do futebol profissional, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional condena todos e quaisquer procedimentos inquisitoriais, mesmo que levados a cabo com ferramentas e metodologias modernas de comunicação.

7. Conforme o Presidente da Liga afirmou no dia do sorteio das competições para a época 2017-2018, este é o momento para elevar o discurso e todos falarem do que é fundamental para o futebol profissional.

8. A atual comissão executiva da LPFP, que é composta por pessoas de sensibilidades e simpatias clubísticas diferentes entre si, tem empenhado as suas competências na gestão em benefício das sociedades desportivas. Aliás, após 2,8 milhões de euros de resultados operacionais positivos na época anterior, a Liga prepara-se para anunciar mais um resultado positivo, respeitante a 2016-2017.

9. O trabalho executivo da LPFP é reconhecido e de grande qualidade, em tudo contrastante com parte do passado do organismo, conforme o Presidente Pedro Proença fez notar à nova Direção, constituída pelas seguintes oito sociedades desportivas: SL Benfica, FC Porto, Sporting CP, GD Chaves, CD Feirense, FC Famalicão, U. Madeira e Ac. Viseu.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.