"É um voto de desconfiança ao Conselho de Arbitragem"

"É um voto de desconfiança ao Conselho de Arbitragem"
Melo Rosa / Mónica Santos

O presidente do FC Porto disse ainda que não estava em causa o valor dos árbitros, mas de quem os escolheu até aqui, pelas incoerências nas nomeações

O sorteio dos árbitros aprovado esta segunda-feira em Assembleia Geral (AG) Extraordinária é mais apropriado para Pinto da Costa e um sinal claro de desconfiança em relação ao Conselho de Arbitragem. "É um voto de desconfiança ao Conselho de Arbitragem, sem dúvida. Se tivesse pessoas em quem acreditasse, seria favorável à nomeação. Com este Conselho de Arbitragem, somos contra. O que se verificou com este CA é que, para um V. Guimarães-FC Porto, quando os dois eram líderes da liga, foi a escolha de um árbitro que tinha descido e foi repescado, ficando na linha de água. Fica evidente que não podemos confiar nestas pessoas para nomear", declarou o presidente do FC Porto após a AG.

Em causa não está o valor dos árbitros, mas sim quem os escolhe e explicou ainda que Sporting e FC Porto não avançaram juntos, mas face à semelhança das propostas, acabaram por conciliá-las. "Havia duas propostas coincidentes e entenderam os clubes que devíamos fazer uma interrupção para conciliá-las, pois eram muito próximas. Fez-se a união das duas propostas e isso foi aprovado por larga maioria. Tanto FC Porto como Sporting propunham sorteio condicionado, apenas a terminologia não era a mesma. Foi decidido pela larga maioria que para os jogos mais difíceis os árbitros internacionais terão prioridade", completou.