Dezoito clubes insistem na demissão de Mário Figueiredo

Dezoito clubes insistem na demissão de Mário Figueiredo

Dezoito clubes dos campeonatos profissionais (12 da I Liga e 6 da II Liga) voltaram esta terça-feira a exigir a destituição do presidente da Liga, Mário Figueiredo.

Reunidos desta feita no Porto, os 18 clubes, que representam 60 por cento do colégio eleitoral, voltaram a exigir a marcação de uma Assembleia Geral da Liga para destituição do atual presidente, Mário Figueiredo.

"Caso o presidente da Assembleia Geral volte a não convocar, de forma ilegal, a assembleia geral requerida, fica prejudicada de forma irremediável a sustentabilidade financeira e desportiva das competições profissionais", afirmou, no final da reunião, José Eduardo Simões, uma vez mais porta-voz do grupo de clubes que vem pedindo a marcação da Assembleia Geral.

Estiveram representados na reunião de hoje 12 clubes da I Liga, a saber: FC Porto, Nacional, Paços de Ferreira, Estoril, Belenenses, Académica, Arouca, Braga, V. Guimarães, V. Setúbal, Rio Ave e Olhanense. Igualmente presentes estiveram seis clubes da II Liga: Chaves, Portimonense, Beira-Mar, Tondela, União da Madeira e Penafiel.

No final do encontro, que decorreu numa unidade hoteleira do Porto, José Eduardo Simões leu um comunicado em que "os clubes, de forma consensual, reiteram publicamente os motivos, por todos conhecidos, o pedido de destituição imediata do presidente da Liga, Dr. Mário Figueiredo". Neste comunicado, os clubes destacam seis motivos para o pedido de destituição:

1- Não aprovação das contas da Liga 2012/13;

2- Não apresentação do orçamento de 2013/2014;

3- Manifesto decréscimo das receitas:

4- Ausência de patrocínios;

5- Falta de transparência na gestão, não partilha de estudos e pareceres contratados, decisões uni-pessoais do presidente da Liga sem consultar clubes;

6- Estilo de liderança beligerante para com os clubes e patrocinadores;