APAF apresenta queixa contra diretor de comunicação do FC Porto

APAF apresenta queixa contra diretor de comunicação do FC Porto

Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol reagiu através de comunicado à revelação de um alegado "esquema de corrupção" por parte de Francisco J. Marques.

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) já reagiu às acusações de corrupção por parte de Francisco J. Marques, diretor de comunicação e informação do FC Porto, que divulgou o alegado conteúdo de uma suposta troca de e-mails entre o ex-árbitro Adão Mendes e Pedro Guerra, diretor de conteúdos da BTV, falando de um "esquema de corrupção de árbitros para favorecer o Benfica".

Através de comunicado, o organismo revelou que vai "apresentar queixa das declarações" de Francisco J. Marques, "a fim de se provar a sua veracidade". "As declarações feitas são graves e não devem deixar de ser analisadas e investigadas desde a sua veracidade à intencionalidade, para bem da transparência do nosso futebol", pode ler-se na nota assinada por Luciano Gonçalves, presidente da APAF.

"Se existe alguma veracidade nas graves acusações que fazem, devem, para bem do futebol, apresentar esses dados às instâncias competentes, PJ [Polícia Judiciária] e MP [Ministério Público]. Se é apenas mais uma diversão, então condenem-se e penalizem-se estes comportamentos de uma vez por todas, chega de 'achincalhar' a arbitragem, é incalculável o prejuízo destes comportamentos para a formação da arbitragem e do futebol", acrescenta o comunicado, que termina com um aviso de Luciano Gonçalves: "A APAF e os árbitros estão disponíveis como sempre estiveram para ajudar nas diligências que as autoridades competentes achem adequadas. Mas não contem com a arbitragem para este circo", conclui.