Sporting vê Benfica por detrás das participações de Leixões e Freamunde

Sporting vê Benfica por detrás das participações de Leixões e Freamunde
João Sanches/Rui Miguel Gomes

Tópicos

SAD vê rival por detrás das participações de Leixões e Freamunde por inclusão irregular de André Geraldes e Gauld

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol instaurou ontem um processo disciplinar ao Sporting, devido à alegada inclusão irregular de André Geraldes e Ryan Gauld na equipa B, após participações de Leixões e Freamunde, ação que a SAD liderada por Bruno de Carvalho, sabe O JOGO, entende ter sido "orquestrada" pelo rival Benfica... para "rebentar" em semana de dérbi. Aliás, ao fim da noite, Bruno recorreu à ironia na rede social Facebook sobre o caso: "Ó "faxavor", sai um processo para a mesa do canto!" De acordo com o comunicado do CD, o processo será hoje enviado para a Comissão de Instrutores da Liga.

Em causa está uma alegada violação do disposto no artigo 78.º, n.º 4 do regulamento de competições da Liga, no qual são delimitados em que casos um jogador cedido pode voltar a ser inscrito e representar, na mesma temporada, o clube cedente, isto em caso de cessação do contrato de empréstimo. Leixões e Freamunde efetuaram as referidas participações por entenderem que a reintegração dos atletas em causa por parte do Sporting, na janela de transferências de janeiro, não foi realizada nos termos legais, ou seja, por caducidade, incumprimento de contrato pelo clube ao que o atleta é cedido ou por mútuo acordo das partes. Alegam os referidos emblemas que a saída de André Geraldes e Ryan Gauld do Vitória de Setúbal - atletas que viram inviabilizada nova cedência ao Chaves precisamente devido a questões legais - foi concretizada de forma unilateral, não tendo o emblema sadino consentido a mesma. Para tal, teria de o expressar através de uma notificação da resolução do contrato de cedência, com uma cópia da comunicação resolutiva ao clube cessionário e ao jogador cedido. Caberá agora à Comissão de Instrutores da Liga averiguar a irregularidade ou não, propondo o arquivamento ou castigo. Caso tal aconteça, segundo o artigo 78.º, n.º 1 alínea a), a formação secundária do Sporting será punida com a perda dos jogos em causa e a subtração entre dois a cinco pontos na classificação, além de uma multa pecuniária. Refira-se que o facto de Ryan Gauld ter sido colocado na ficha de jogo da equipa principal frente ao Vitória de Setúbal, sem ter jogado, não tem qualquer implicação legal para o Sporting.

Ora, o entendimento dos dirigentes leoninos, apurou O JOGO, é o de que este processo movido por Leixões e Freamunde é suscitado pela influência do Benfica, que, recorde-se, suscitou a possibilidade de uma participação do emblema da Luz em janeiro. Advogam os leões que a decisão da SAD leixonense não colheu unanimidade do Conselho de Administração liderado por Paulo Lopo, que acabou por seguir o aconselhamento do departamento jurídico e avançou com a participação. Porém, de acordo com informações recolhidas pelo nosso jornal, a SAD do histórico de Matosinhos considera esse fundamento falso. Os responsáveis leixonenses entendem como vitais os três pontos perdidos no confronto com o Sporting B no dia 19 de março para escapar à despromoção. Tal posição é partilhada pelo Freamunde, que sustenta ter feito a participação sem conhecer outras queixas de clubes competidores. O Benfica, através de fonte oficial, negou a O JOGO qualquer ligação às participações dos dois clubes da II Liga, considerando a acusação "sem qualquer fundamento". Certo é que o administrador da SAD Carlos Vieira e o presidente Bruno de Carvalho foram anteontem informados, em Lisboa, sobre os motivos da participação por um destacado elemento da estrutura acionista do Leixões.