Carlos Mané hesita no regresso ao Sporting

Carlos Mané hesita no regresso ao Sporting
Duarte Tornesi/Filipe Alexandre Dias

Tópicos

SAD do Sporting planeia recuperá-lo em 2017/18, mas o extremo não esquece a forma como foi "travado" há um ano

A política de reconversão do plantel leonino assente na produção caseira alterou o paradigma do leão a meio da presente época, mas os desígnios para a próxima prometem manter semelhante aposta, ou não estivessem os leões, sabe O JOGO, a contemplar o regresso de Carlos Mané a Alvalade no verão. O internacional sub-21 português foi cedido por duas temporadas ao Estugarda - onde se tem vindo a afirmar em bom estilo -, e é intenção dos responsáveis da Sporting, SAD incluir nos planos para 2017/18 o jogador que formou na totalidade e revelou na época 2013/14, quando Leonardo Jardim comandava o esquadrão verde e branco. Contudo, há também a vontade do extremo a levar em linha de conta. Muito embora Carlos Mané não queira fechar a porta ao emblema que é assumidamente o do seu coração, O JOGO sabe que o atleta mostra-se renitente quanto a um eventual regresso. A razão tem a ver justamente com os meses que antecederam a saída para a Alemanha e que fazem Mané hesitar depois de se sentir magoado com a atual equipa técnica.

Carlos Mané sentiu dificuldades em firmar posição nas primeiras linhas assim que Jorge Jesus assumiu o comando dos leões no verão de 2015. O extremo pediu para deixar os leões em janeiro do ano passado, contudo, a ação do técnico bloqueou tal intenção. No final de um jogo para a Taça da Liga, em Arouca, Jorge Jesus dialogou com Carlos Mané, explicando-lhe a importância que nele reconhecia para o assalto ao título de campeão, que acabaria por fugir para o rival Benfica.

Abortada a saída para a Alemanha, que acabou por deixar um sabor amargo no atleta (ler caixa em anexo nesta página), Mané só voltou a ser opção por sete desafios até final da temporada, um contexto que convenceu todas as partes a encarar a saída para o Estugarda, que deixara as portas da negociação abertas para o último defeso.

Outro argumento é a grande forma exibida pelo atacante pela sua atual equipa, que é líder destacada do segundo escalão, em boa posição para regressar à Bundesliga. O Estugarda tem uma opção de compra de 15 milhões de euros acionável no final de cada uma das épocas de cedência, alturas em que os leões podem recuperar Mané, salvo se os alemães acionarem a condição acima referida. Com cinco golos e seis assistências em 15 jogos pelo Estugarda, o extremo vislumbra um futuro promissor no futebol germânico e Alvalade ainda longe.
============03 POS Ultima_0012 (12928002)============