Bruno de Carvalho: "Os árbitros estão absolutamente condicionados"

Bruno de Carvalho: "Os árbitros estão absolutamente condicionados"

Bruno de Carvalho destaca o papel dos observadores no que considera ser o terrível momento que atravessa a arbitragem portuguesa

A Taça da Liga: "É lógico que podemos falar também do facto de termos sido afastados da forma como fomos da final four da Taça da Liga. Não é que eu seja um amante da Taça da Liga, nunca o fui, aliás, hei-de guardar para todo o sempre o Pedro Silva no meu coração, porque acho que é alguém que representa aquilo que deve ser a emoção do futebol. Sentiu-se prejudicado e mostrou-o claramente, gosto de pessoas assim."

Arbitragem: "Que fique bem clara a opinião do Sporting. Em primeiro lugar, houve muita coisa na arbitragem que não foi devidamente preparada. Vou dar um exemplo: todos nós falamos de que há árbitros tão jovens a ser colocados como internacionais e as pessoas não o entendem. Como é que árbitros que fizeram um ou dois jogos podem ser imediatamente internacionais? Isto tem a ver com anos e anos e anos de vícios criados na arbitragem."

Os observadores: "Temos talhado o caminho do Sporting, um caminho certo e o mesmo deve ser feito na arbitragem. Os árbitros continuam absolutamente condicionados internamente no seu trabalho e isto tem a ver com os critérios das pessoas que observam. Os árbitros estão absolutamente condicionados, é preciso, de uma vez por todas, que quem está à frente da arbitragem altere por completo o que é este sistema de observação e classificação. É disso que os árbitros têm que se libertar, disse isto várias vezes e volto a alertar: os árbitros atuam muito condicionados. Há um nome perfeitamente definido dos observadores e dos critérios de observação. Enquanto não se mexer nisto, os árbitros vão continuar condicionados naquilo que é o seu trabalho porque, em vez de fazerem aquilo que acham que devem fazer, muitas vezes fazem aquilo que acham que o observador quer que eles façam."