Adrien foi ao limite para defrontar o Benfica na máxima força

Adrien foi ao limite para defrontar o Benfica na máxima força

Capitão fez várias horas extra para chegar bem ao clássico, reabilitando-se no tempo mínimo previsto

Só um processo de recuperação seguido à risca, no limite, incrementado com um trabalho extra em casa, centrado num plano específico de fortalecimento muscular, permitiu que Adrien recuperasse no período mínimo de paragem previsto de seis semanas, após a lesão no ligamento lateral interno do joelho direito. Foram muitas as horas extra de trabalho executadas por Adrien fora da Academia que levaram a uma reentrada limpa, sem retrocessos, nas opções de Jorge Jesus, de modo a que o capitão leonino chegasse ao clássico de amanhã em níveis físicos mais próximos do habitual.

Em Alvalade, apurou O JOGO, o mérito de Adrien ter entrado em campo para os últimos 28 minutos da receção ao Boavista, no passado dia 8, é distribuído igualmente pelo departamento médico, ainda que o sublinhado seja dado ao capitão. Para os dirigentes leoninos, Adrien, na segunda paragem longa da temporada por lesão, deu uma prova de profissionalismo, sacrifício e dedicação, no cumprimento do processo de reabilitação que foi planeado e coordenado pelo departamento médico liderado por Frederico Varandas.

Entre os comandados de Jorge Jesus, além da influência técnica e tática que é reconhecida a Adrien nos encontros de maior importância, exemplo dos clássicos, o capitão é tido no seio do plantel como uma voz de comando e agregação do grupo, recorrendo a mensagens curtas e incisivas destinadas aos colegas, de modo a que estes possam superar as adversidades da competição.