Luís Castro: "Poderá ser o Chaves, mas há outras equipas também"

Luís Castro: "Poderá ser o Chaves, mas há outras equipas também"

Luís Castro, treinador do Rio Ave, fala sobre o futuro depois de levar o Rio Ave ao sétimo lugar do campeonato.

O Rio Ave venceu o Belenenses por 2-0, mas falhou o apuramento para a Liga Europa. "A justiça está sempre nos resultados e nos pontos que se conquistam ao longo da época. Por isso, a justiça do Rio Ave é o do sétimo lugar, a um ponto do sexto. Tentamos ir atrás do lugar que está acima, encurtamos distâncias, mas terminou assim, não há mais nada a fazer. E terminou a nível do resultado da forma que gostaríamos, uma vitória boa, em que apresentamos um bom futebol, perante um adversário de qualidade, mas que conseguimos traduzir em golos algumas das oportunidades criadas, que nos levou a um bom resultado", afirmou o treinador Luís Castro.

"Nunca sentimos desconfiança no nosso trabalho e isso foi sempre motivante para trabalhar. Os jogadores foram inexcedíveis. Se vissem os treinos percebiam porque jogamos como jogamos. A forma como se entregaram no dia-a-dia é uma coisa fora do normal. Não tivemos quebras", continuou, falando sobre o futuro enquanto técnico.

"Vou descansar, irei falar com o presidente e conversar sobre isso. Disse, no tempo certo, que as pessoas que trabalham junto comigo estavam a tratar do meu assunto profissional, perante os pressupostos que lhes disse. Confio neles. Chaves? Poderá ser o Desportivo de Chaves, mas há outras equipas também. Se sair de Vila do Conde, não é por não gostar disto ou daquilo. É normal. Assinei até ao final da época para poder ser livre de decidir. Nunca faltando ao respeito por alguns clubes. Passei meses fantásticos no Rio Ave. Comigo ou sem mim, o Rio Ave irá continuar um percurso de sucesso, porque tem pessoas extremamente competentes. O treinador tem sempre muitos clubes para treinar e há muita gente competente para treinar", terminou Luís Castro.