"Tenho força para continuar"

Apesar da contestação dos adeptos, o treinador do FC Porto garantiu, após o empate com o Rio Ave, ter forças para continuar no comando técnico da equipa

Mensagem aos adeptos: "Os adeptos estiveram magníficos. Não há nada a apontar. Temos que lhes agradecer. Estamos tão tristes quanto eles, mas vamos levantar-nos e procurar melhorar para lhes dar alegrias."

Lenços brancos e contestação: "Isto é assim: eu sou o treinador, sou o principal responsável. Sou o responsável de toda esta situação negativa; das positivas, não, porque é assim, o nosso trabalho é assim, temos de aceitá-lo e aos jogadores cabe-nos ajudá-los, para que continuem a crescer e que tenham a máxima tranquilidade. É o que continuarei a fazer. A partir daí, logicamente, já não depende de mim. Tenho um enorme respeito pelo presidente e ele sabe que, comigo, não tem problema algum. Eu tenho forças para me levantar, amanhã e ir ao treino preparar o jogo seguinte, não tenho dúvida alguma."

Explicação para o empate: "Depois de estar em vantagem, numa boa primeira parte, com muitas ocasiões, numa jogada de azar encaixámos o empate a um, é realmente difícil de entender, depois da primeira parte que fizemos. É o futebol, temos que aceitar. Na segunda parte, estivemos praticamente o tempo todo na área deles, mas não tivemos nem lucidez nem tranquilidade para chegar à baliza."

Lado emocional: "À medida que o tempo ia passando, íamos perdendo tranquilidade e no fim faltou-nos claridade na circulação. Tivemos menos oportunidades de golo do que desejávamos na segunda parte, tivemos muitos ataques e cantos mas isso não é suficiente e o nosso castigo foi empatar o jogo. O empate causou-nos dano depois da derrota mas o que temos que fazer é levantar-nos. Temos que defrontar o que vem."