"Derrota dura mas vamos saber reagir"

"Derrota dura mas vamos saber reagir"

O treinador dos pecenses reconhece o amargo do desfecho mas lembra que a sua equipa "tem feito uma época fantástica"

Jorge Simão, treinador do Paços de Ferreira, aceitou a derrota na Choupana ainda que a considere por números excessivos.

"Foi uma vitória justa do Nacional mas por números exagerados. O adversário fez três remates enquadrados com a baliza e fez três golos. Mas foi eficaz e privilegiou a eficácia, e bem. Entrámos algo permissivos no jogo, além de termos sentido problemas de adaptação a uma relva que é muito fofa e torna o jogo mais lento, mas isso não serve de desculpa porque tínhamos a obrigação de nos adaptar mais rapidamente a ela".

O treinador pacense considera que a entrada em campo dos "castores" também deixou a desejar.

"A primeira meia hora foi difícil para nós, altura em que o Nacional abre o marcador. Depois, assentámos o nosso jogo e chegámos bem ao intervalo, e melhores, ainda, no regresso dos balneários. Podíamos ter empatado mas foi o Nacional que, num canto, volta a marcar, complicando, ainda mais, a nossa tarefa. Mesmo assim lutámos, tentámos impor o nosso jogo mas é quando surge o terceiro numa transição ofensiva do Nacional."

O futuro faz-se caminhando, recorda Jorge Simão, que não vê a sua equipa vencer há nove jogos oficiais.

"É um facto, mas não podemos olhar apenas para este bloco de jogos, porque estamos a fazer uma época fantástica. Claro que esta foi uma derrota dura, que custou a todos, mas vamos saber reagir e pensar no Marítimo, porque esta é a nossa vida. Mesmo com alguns socos no estômago, temos de saber reagir e ver de que matéria somos feitos."