"Júlio César ganha mais do que nós todos"

"Júlio César ganha mais do que nós todos"
Carlos Veras

Tópicos

Vukcevic acredita num bom resultado. Só não discute o favoritismo, todo do Benfica, adversário cujo guarda-redes tem um salário que paga a equipa transmontana

O Chaves chega à sexta jornada com nove pontos, sem derrotas e sem temer o Benfica. O primeiro dos grandes a deslocar-se ao palco transmontano é um velho conhecido de Vukcevic, internacional montenegrino que se estreou em Portugal em 2007/08 e, na primeira das quatro épocas no Sporting, marcou duas vezes ao rival, na Liga (1-1) e na meia-final da Taça de Portugal (5-3). Reencontra-o num projeto mais modesto, que visa a permanência de um recém-promovido que tem surpreendido pela solidez do arranque. "Sinceramente não esperava que o Chaves estivesse nesta situação, mas graças a Deus que é assim, e fica a dever-se ao bom trabalho que temos feito. Sabemos que vai ser um jogo difícil para nós, mas também o será para o Benfica. No futebol, tudo é possível e basta lembrar o último jogo do Sporting com o Rio Ave", defendeu.

"Estamos tranquilos, só queremos demonstrar no campo o nosso valor", acrescentou o médio, para quem a época leva apenas oito minutos, com o V. Setúbal. Uma lesão atrasou-o, mas o que vê do banco dá-lhe esperança num bom jogo com o líder, que colhe todo o favoritismo: "Basta lembrar que Júlio César, sozinho, ganha mais do que toda a equipa do Chaves."