"Sinto-me feliz por nunca ter vacilado na convicção braguista"

"Sinto-me feliz por nunca ter vacilado na convicção braguista"

O Presidente da República eleito esteve na I Gala Legião de Ouro e recebeu o prémio "Guerreiro de Honra", motivo pelo qual discursou sobre o seu passado, presente e futuro enquanto adepto do Braga.

Sobre o passado: "Recordando a criança que, em Lisboa, via no Braga o maior clube do Mundo, tentava quase sempre explicá-lo aos amigos e colegas, que olhavam para essa fidelidade com bizarria incompreensível. A alegria única da vitória na Taça de Portugal no Jamor, marco singular de um percurso com muitas alegrias. Os sucessos ao nível do melhor que existiu na Europa e no Mundo. Sinto-me feliz por nunca ter vacilado na minha convicção braguista, nunca ter trocado pela adesão sedutora aos grandes de cada momento".

Presente: "Outra palavra sobre o presente, que começou há uma década e viu renovado júbilo na Taça da Liga, nas finais da Liga Europa e da Taça de Portugal e em participações prestigiosas na I Liga. Jamais se havia assistido a um período de sucessos tão longo no clube. A notável adesão de jovens ao nosso clube, sobretudo em Braga, e um pouco por todo o país".

Futuro: "Dentro de menos de um mês, serei Presidente de todos os portugueses, com clube ou sem clube, ou mesmo indiferentes àquilo que nos atrai a nós, adeptos do desporto. A paixão pelo Braga não pode nem deve porem sobrepor-se à imparcialidade pública do presidente da republica, mas não se apaga, porque não se apaga o que é nosso. O Presidente saudará o êxito dos outros concorrentes às vitórias com a mesma postura e isenção, mas tentem imaginar o que vai dentro da cabeça, tentem prever o que vai no fundo do coração".

Prémio: "Muito obrigado por este galardão imerecido. Porque eu só fui e sou o que sou como adepto do Braga por mérito do clube. Foi ele que me cativou há 60 anos. Eu limitei-me a não resistir ao desafio inédito de acreditar num grande clube quando ele não parecia ninguém".