Raúl Jiménez acelera para o mercado de janeiro

Raúl Jiménez acelera para o mercado de janeiro
Marco Gonçalves

Tópicos

Presidente do Benfica já chegou a afirmar que vai realizar a maior transferência de sempre com o mexicano. E em janeiro o principal mercado disponível a pagar milhões pelo atleta é a China

Aposta forte do Benfica para encher os cofres da Luz, Raúl Jiménez voltou à titularidade diante do Moreirense com um golo, candidatando-se assim a segurar o lugar no onze frente ao Marítimo, já na sexta-feira. O camisola 9, que até já decidiu este ano na Madeira, tendo marcado no triunfo por 3-1 no terreno do Nacional, convenceu Rui Vitória e ganha peso na equipa numa altura-chave: precisa de estar na "montra".

Presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira recebeu do superagente Jorge Mendes a promessa de um encaixe mínimo de 50 milhões de euros com a venda de Jiménez, algo que o levou já a revelar o "feeling" de que o clube "vai fazer a maior transferência de sempre" com o jogador, que prevê vir a ser "um dos avançados mais temíveis e procurados da Europa" - o recorde em Portugal está nos 60 milhões de euros, com a transferência de Hulk para o Zenit. Por isso, Vieira investiu 22 milhões de euros na aquisição dos 100 por cento do passe do internacional mexicano.

Com a reabertura do período de transferências cada vez mais próxima, Jiménez volta a ser um nome quente no plantel encarnado, com a China a surgir, porém, nesta altura como o principal mercado a receber o avançado. Janeiro/fevereiro é a fase do ano em que os clubes chineses mais investem em contratações, com alguns deles a disporem da capacidade financeira necessária para pagar a verba exigida pelo líder das águias.

Depois de mês e meio de paragem por lesão [ver peça ao lado], Jiménez foi lançado aos poucos, de forma a ganhar ritmo competitivo, recuperando a titularidade na última jornada (marcou nos últimos quatro jogos em que alinhou de início) e merecendo elogios de Rui Vitória. "Fez um belíssimo jogo", disse, justificando a aposta no mexicano (no lugar de Mitroglou) por ser mais pressionante e agressivo na primeira fase, capaz de bloquear as saídas do adversário para o contra-ataque. Algo importante até quando se aproximam os jogos com Nápoles e Sporting.