Até os suíços ficaram pasmados com Seferovic

Até os suíços ficaram pasmados com Seferovic

Avançado mostrou serviço na luta pela titularidade e deixou água na boca até aos responsáveis da sua seleção.

Com apenas quatro golos marcados na última temporada, ao serviço do Eintracht Frankfurt, onde pouco jogou, Haris Seferovic entrou na Luz com uma missão complicada, pois enfrenta a concorrência de Jonas, Mitroglou e Jiménez. Porém, e aproveitando a ausência dos dois últimos nas duas primeiras semanas de trabalho, o novo camisola 14 das águias apresenta-se como o reforço que melhor aproveitou o arranque da pré-temporada. De tal forma que impressionou até os emissários da federação suíça presentes no último sábado no Estádio Tissot Arena, sendo valorizada a "condição física" e a "rapidez" com que o atleta se está a afirmar no campeão luso. "O Haris jogou muito bem na primeira parte, teve boas ações e decisões ofensivas e revelou um belo entendimento com Jonas. Esteve sempre disponível para os colegas e leu bem o jogo", analisou, a O JOGO, Heinz Moser, treinador dos sub-21, que até aproveitou para tirar notas dos miúdos do Benfica que a Suíça poderá defrontar na qualificação para o Euro"2019.

Em junho, no final da vitória da Suíça por 2-0 sobre as Ilhas Faroé, Vladimir Petkovic deixou um aviso a Seferovic - e a outros -, referindo que a partir da nova temporada iria ter maior atenção ao tempo de jogo de cada jogador e que aqueles que tivessem escassa utilização teriam o lugar em risco na equipa. Ciente desse desafio e de olhos postos na afirmação na Luz, o avançado abdicou de mais férias para começar a trabalhar desde o primeiro dia no Seixal - e até já aprende português. A aposta para já rende frutos: entre os 25 jogadores (Mitroglou chegou depois) convocados para o duplo compromisso na Suíça, apenas Jardel (160") jogou mais do que Seferovic (155").

Entre as outras aquisições, apenas Chrien sobressaiu. Arango, que procura justificar uma vaga - tem à sua frente quatro avançados de nomeada -, mostrou intensidade, mas ainda sem rotinas, enquanto Willock não brilhou nos jogos como fizera nos treinos. Já Bruno Varela, também em teste, não teve culpa nos três golos sofridos ante o Young Boys.