Venezuela: Maduro mantém intenção de convocar Constituinte e critica União Europeia

Venezuela: Maduro mantém intenção de convocar Constituinte e critica União Europeia
Lusa

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, assegurou na segunda-feira que vai manter a convocatória de uma Assembleia Nacional Constituinte, após a oposição ter realizado um referendo, no qual quase sete milhões se manifestaram contra a mudança na Constituição.

"Convoco uma Constituinte pela independência e soberania, e a Europa, diga o que disser, não nos importa o que diga a Europa", afirmou Maduro a partir do palácio presidencial, aludindo ao apelo feito pela União Europeia (UE) para que abandone o projeto da Assembleia Constituinte.

"Hoje foi Federica Mogherini [alta representante da UE para a Política Externa] a dar ordens ao Governo da Venezuela. Insolente. Acha que estamos em 1809? (Quando) recebíamos ordens dos impérios europeus. Venezuela é um país livre e soberano", frisou Nicolas Maduro, citado pela agência de notícias espanhola EFE.

Mogherini exortou na segunda-feira Maduro a "suspender" o processo para uma Assembleia Constituinte e advertiu que "todas as opções", tais como sanções, estão em cima da mesa.

"Federica Mogherini, equivocaste-te com o país. A Venezuela não é uma colónia da União Europeia", afirmou Nicolas Maduro, acrescentando que "ninguém dá ordens" e que na Venezuela "mandam os venezuelanos".