Governo pede a Centro Hospitalar Tondela-Viseu para melhorar espera para cirurgias

Governo pede a Centro Hospitalar Tondela-Viseu para melhorar espera para cirurgias
Lusa

O secretário de Estado da Saúde congratulou-se hoje com a "saúde financeira" e o bom funcionamento do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, solicitando ainda ao seu conselho de administração um esforço para melhorar tempos de espera para cirurgias e consultas externas.

"Pedia a este conselho de administração que fizesse um esforço para encontrar soluções que melhorassem este indicador. Muitas vezes não chega a um hospital ser bom e funcionar muito bem, é muito importante que ele dê acesso às populações todas, independentemente de ser uma situação mais prioritária que outra", apontou.

Na sua intervenção na cerimónia de comemoração do 20.º aniversário do Hospital São Teotónio, em Viseu, Manuel Delgado referiu que as condições de acesso às consultas externas no Centro Hospitalar Tondela-Viseu pioraram.

"Há aqui um 'calcanhar de Aquiles'. Elas pioraram, não muito, mas razoavelmente, a mediana de espera andava nos 106 dias e aumentou para 114 dias", informou.

Também os tempos de espera para as cirurgias são maiores, passando de "110 para 130 dias", embora se realce que nas situações prioritárias oncológicas os tempos de espera estejam "dentro dos aceitáveis".

"Temos de perceber quais as especialidades que mais influenciam estas medianas de tempos de espera", acrescentou.

De acordo com o governante, em termos de cirurgias de ambulatório, o Centro Hospitalar Tondela-Viseu é "um exemplo", com uma taxa próxima dos 72%.

Em Viseu "o número de urgências baixou cerca de 9%", seguindo a tendência nacional, embora registando uma redução um pouco maior do que noutras regiões.

Ao longo da sua intervenção, o secretário de Estado da Saúde destacou ainda que este é o hospital mais eficiente na gestão de medicamentos, utilizando "de forma bastante razoável os biossimilares" e apresentando "o custo mais baixo por doente padrão a nível nacional".

O Centro Hospitalar Tondela-Viseu realiza por ano cerca de 280 mil consultas externas e atende no serviço de urgência cerca de 160 mil doentes.

Pelo internamento passam anualmente cerca de 22 mil utentes, sendo este "o maior centro hospitalar que o país tem no interior".

Integra mais de 2.300 profissionais, sendo 700 médicos e mil enfermeiros.

"É a maior entidade empregadora da região e o maior criador de riqueza e dinamismo económico e social", concluiu Manuel Delgado.