Plantel do Braga tem três vezes mais jogos na I Liga

Dérbi do Minho: 1522 contra 469

Publicado por Carlos Pereira Santos
Hoje há dérbi no Minho: O Braga parte à frente, na classificação e na experiência, mas será suficiente para combater a irreverência e juventude do V. Guimarães?
18h00: Siga aqui o jogo em DIRETO e veja os vídeos dos melhores lances.

Quem está melhor ou pior, não interessa, o dérbi do Minho será, seguramente, mais um jogo de nervos nas bancadas. Quando hoje subirem ao palco do AXA, toda a rivalidade estará no relvado, mesmo que nos onzes não haja, como outrora, muitos naturais das duas cidades. Quem parte em vantagem? A nível de experiência na I Liga, o acumulado de jogos do Braga é superior, chegando a triplicar em relação ao V. Guimarães. Tomando como ponto de análise os onzes base (nas escolhas estão os vitorianos Leonel Olímpio e Barrientos que até estão castigados), basta um exemplo para se perceber essa diferença de experiência: Quim tem 382 jogos; o total do onze base do Vitória totaliza 469 jogos! Não foi por acaso que Rui Vitória contrapôs a irreverência da juventude da equipa à experiência do adversário.

Enquanto nos vimaranenses apenas Alex destoa, com 166 jogos no campeonato português, no Braga apenas três jogadores têm menos de 80 jogos. Há razões para isto. O Vitória passou a conviver com graves problemas financeiros, tendo reduzido o orçamento e apostado na juventude. Ainda assim, o V. Guimarães está a fazer um excelente campeonato, tendo hoje a possibilidade de encurtar para quatro pontos a distância para o rival.

Os arsenalistas têm a tal experiência acumulada, jogam em casa, sem que isso conte muito neste tipo de jogos, aliás, há até alguma pressão devido a ter perdido o terceiro lugar. A saúde financeira dos bracarenses, resultado de um plano de crescimento que tem um responsável à cabeça (António Salvador, o presidente), provocou outras exigências e, apesar dos votos de confiança, um mau resultado hoje poderá será fatal para José Peseiro.

Ler mais sobre o dérbi minhoto na edição e-paper e impressa


Comentários