Caso João Pinto

Crença "de que nenhuma ilegalidade foi cometida"

Publicado
Sporting continua ao lado de Luís Duquepor Gustavo Bom/Global Imagens
Clube leonino emitiu um comunicado onde realça acreditar na inocência dos arguidos, entre eles Luís Duque.
O Sporting manifestou-se hoje "crente de que nenhuma ilegalidade foi cometida" no processo da transferência do ex-futebolista João Vieira Pinto e que a situação foi ponderada antes da nomeação de Luís Duque para a SAD "leonina". "Trata-se de um processo antigo e publicamente conhecido que remonta a factos ocorridos no ano 2000. Já decorria aquando da nomeação de Luís Duque para exercer funções na Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD (...). Da ponderação feita entendeu-se que todos os pressupostos legais e fiscais tinham sido cumpridos", lê-se em comunicado da direção do clube.

Luís Duque, que era administrador da SAD à data dos factos e que regressou em 2011, foi condenado a dois anos de prisão por evasão fiscal, com pena suspensa por quatro anos, mas o Sporting defende que nem a sociedade nem o dirigente retiraram benefícios da transferência e que aquele se limitou a "celebrar legalmente um contrato com as entidades identificadas para o efeito".

"O Sporting, crente que nenhuma ilegalidade foi cometida, aguardará serenamente o desfecho do processo", acrescenta o comunicado do clube, dois dias depois de conhecido o acórdão do Tribunal Criminal de Lisboa, que condenou, além de Luís Duque, o ex-jogador, o empresário José Veiga e o antigo responsável pelo departamento financeiro do clube Rui Meireles, tendo todos anunciado a intenção de recorrer.


Comentários